Reciclado e divertido


Computadores montados dentro de televisão antiga,máquina de escrever e até em um pneu. A Campus Party Europa mostrou que acriatividade anda em alta 
Alysson Lisboa Neves
Madri – Criatividade, inovação e consciência ecológica.Esse é conceito do mooding. A partirde peças usadas, novos equipamentos são criados e reinventados. O resultado:computadores extravagantes e bem curiosos. Existem dois tipos de mooding – aquele construído a partir deuma CPU e aquele montado de uma carcaça nova.
Um dos equipamentos que mais chamou a atenção no eventofoi o Mod PC Wheel , do espanhol Pablo Miranda Alias Ngrom, de 31 anos. Eletrabalha com suporte de computadores e pratica o mooding como hobby, há quase dois anos. A maioria das peças éreciclada. Ele utilizou um radiador de carros para o resfriamento doscomponentes, peças de um armário velho e vários outros objetos que foiacumulando em depósitos e ferros-velhos.
Pablo pensa em trabalhar com a fabricação e venda decomputadores ecológicos no futuro para contribuir com o meio ambiente. “Em vezde consumir tanto, as pessoas poderiam dar aos componentes uma segunda vida.Você não tem que gastar dinheiro com peças novas”, conclui o inventor.
Computador ecológico em formato de árvore
Outro equipamento curioso foi desenvolvido pelaestudante de informática, a espanhola Débora Ruis, de 22 anos. Ela conta que hádois anos pensava em criar uma árvore particular. Débora já construiu outrapeça baseada na história de um filme de Tim Burton. 
 Para fazer o computador verde, a estudante buscou peçasde computadores antigos. Para ela, o trabalho é simples e basta apenas um poucode criatividade: “Você pode usar uma coisa que outra pessoa não vai usar, mesmoque sejam produtos muito antigos” explica Débora.
 Buscando algo inédito para trazer ao Campus Party, ojovem Jorge Payá, de 22 años, criou um computador a partir da carcaça de umatelevisão da década de 1940. Só que agora a televisão, com tela de plasma, podefazer muitas outras coisas além de sua antiga função.
Máquina de datilografia
Quem foi que disse que máquinas de datilografia nãoexistem mais? Pelo menos para o sueco Jonas Vils, de 37 anos, ela vai existirainda por um bom tempo. A ideia dele foi construir um computador dentro dacarcaça de um modelo Facit que estava encostada em casa. Jonas diz quetrabalhou na empresa e que gostava muito de seu teclado. Então, decidiu trazera máquina para a era da modernidade, mas sem perder seu charme. “Fiz umahomenagem ao nosso patrimônio industrial”, referindo-se à empresa sueca Facit. 

Jonas pensou em um computador silencioso, mas queriapreservar o barulho do teclado. Todo o projeto foi concluído em casa com aajuda dos filhos. O equipamento, que pesa 20 quilos,  demorou quase dois anos para ser concluído.
Outro equipamento turbinado encontrado no evento foi oExtreme, de Vicente Centeno, de 33 anos. Ele não tinha dinheiro para comprar umcomputador novo, então decidiu fabricar um a partir de peças usadas. O únicoinvestimento que fez foram as placas de acrílico para revestir o sistema derefrigeração líquida do equipamento. O computador tem três discos rígidos de 8gigas cada um. Tudo foi conseguido no lixo. Vicente, que foi campeão no CampusParty Valencia, explica: “Comprar algo novo é fácil. O difícil é pensar comoaproveitar peças usadas. Basta vontade e um pouco de imaginação”, conclui.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s