O que fazer com a logomarca na web?


Neste post, volto a falar sobre a importância do desenho na web de notícias. Leia o primeiro post sobre o assunto.

Logomarca dos jornais
Quem se arriscou, hoje está voltando atrás

Um dos vilões do desenho na web é a logomarca. Muitas empresas ignoram a importância da marca.

Outras exaltam e deixam claro a tradição que, consequentemente, é atrelada à sua credibilidade.

O cabeçalho mostra a relação que existe entre um site e sua versão em papel. Por isso,  72% dos jornais mantiveram sua logomarca original no site, segundo pesquisa realizada pela Cases i Associats, em 2009,  com 200 jornais analisados.

Os diários que não renunciaram seu cabeçalho

Sabendo que a logomarca de um jornal é o seu maior patrimônio, a maioria das empresas manteve a logomarca centralizada como na edição impressa. O caso mais conhecido é o do NYtimes que, desde 1995, em sua edição on-line, mantém a logomarca. Em 2006 a empresa incorporou ainda a frase: “on the web”.

Para diários históricos como o canadense The Gazette, fundado em 1778, renunciar à logomarca é muito arriscado. Por isso, o jornal optou por integrá-la  a um desenho web moderno, como foi feito na  edição em papel.

Disponível em: http://www.montrealgazette.com/index.htmlO caminho inverso

Algumas empresas optaram por não manter a logomarca tradicional para a web e agora estão voltando atrás. É o caso do The Washington Post, que em fevereiro de 2009 voltou a mostrar a logomarca original no seu site. Algo parecido aconteceu com o Chicago Tribune.

O jornal Estado de Minas, de Belo Horizonte, optou por reduzir sua logomarca e posicioná-la à direita da nova marca EM.COM.BR, criada para o portal www.em.com.br.

O Hoje em Dia,  outro jornal de Belo Horizonte, manteve as mesmas características da logomarca do jornal, mesmo que menor e alinhada à esquerda. No mesmo lado, logo abaixo da logomarca, aparece um relógio com fundo vermelho que recebe um grande destaque na página. Estudos de Eyetrack mostram que a área de maior visibilidade de um site está exatamente naquela região e não pode ser desperdiçada.

Redesenho total

Depois de finalizar o redesenho em papel, em 2005 o diretor Mark Porter, do The Guardian, começou a trabalhar na web.  O resultado foi uma mesma identidade em dois meios com necessidades distintas.

Frente ao tradicionalismo

Segundo pesquisa recente da Canadian Newspaper Association (CNA),  25% dos leitores de um diário on-line não vieram da imprensa escrita.  De olho no mercado dos tablets, Rupert Murdoch anunciou que pretende lançar um jornal exclusivo para o Ipad. O “Daily” terá redação independente e será vendido na loja da App Store. A ideia do empresário é conseguir dois milhões de assinantes, ou seja, 5% do mercado de usuários de Ipad previstos até o final de 2011. Estimativas mais otimistas dão conta de que o número de aparelhos comercializados chegará perto dos 70 milhões de unidades. A grande pergunta é: o leitor está disposto a pagar quanto por um aplicativo para o Ipad?

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s